Home B-Active Explica Dicas e artigos

Dicas e artigos

Exercícios para os Joelhos

28.06.2017

Fonte : Revista Brasileira de Medicina do Esporte (RBME)

Idosos submetidos a duas sessões semanais de exercícios durante um mês, com o protocolo de treinamento na cadeira flexora e extensora para ambos os joelhos de maneira isométrica, aumentaram o estado geral de saúde, redução da limitação por aspectos físicos, redução da dor e no aumento da capacidade funcional, o que melhora significativamente a marcha.

 

Rev. bras. med. esporte; 20(4): 309-314

Reabilitação Pulmonar

08.06.2017

Fonte : Revista Brasileira de Ciência e Movimento

A aplicação de exercícios resistidos com protocolos específicos (musculação terapêutica) em pacientes com doenças pulmonares obstrutivas crônicas(DPOC) foram eficazes no programa de reabilitação pulmonar.

 

Rev. bras. ciênc. mov; 22(2): 27-35

Tratamento para Lesões Ligamentares dos Joelhos

11.05.2017

Fonte : Revista de Fisioterapia da Universidade de São Paulo

O tratamento cirúrgico para lesões do ligamento cruzado anterior é inquestionável, porém não há evidências científicas suficientes para dizer que os resultados são superiores ao tratamento conservador através de exercícios físicos orientados em ambientes controlados com profissionais habilitados.

 

Fisioter. Pesqui. vol.21 no.2 São Paulo

Pilates para Reabilitação dos Joelhos

04.05.2017

Fonte : Revista Brasileira de Medicina do Esporte (RBME)

Em estudo realizado foi possível verificar que oito sessões de Pilates, feitas ao longo de quatro semanas, proporcionam melhora significativa do torque isocinético dos músculos extensores e flexores do joelho.

 

Rev. Bras. Med. Esporte, v.21, n.1

A prática da atividade física em mulheres submetidas à cirurgia por câncer de mama: percepção de barreiras e benefícios

08.03.2017

Fonte : Revista Latino-Americana de Enfermagem

O exercício físico pós-mastectomia é importante para prevenção da limitação articular, linfedema, alterações posturais, fibrose muscular ou aderência tecidual da área cirúrgica. O grupo estudado percebeu um conjunto de benefícios sendo a falta de força de vontade a barreira mais mencionada, o conhecimento sobre a importância e a necessidade dos exercícios físicos com a presença de um profissional e o suporte dos familiares foram os incentivos mais referidos pelas mulheres estudadas.

 

Rev. Latino-aericana; 12(3):494-502

Exercício físico no tratamento e prevenção de idosos com osteoporose

08.03.2017

Fonte : Revista Fisioterapia em Movimento

A atividade física influencia a manutenção das atividades ósseas normais, e por este motivo vem sendo indicada no tratamento da osteoporose.Os exercícios que mais se destacaram no tratamento da osteoporose foram os seguintes: exercícios de extensão isométrica de tronco, exercícios em cadeia cinética aberta, coordenação e equilíbrio. Já na prevenção, os mais evidenciados foram: exercícios físicos de alta intensidade, exercícios de alto impacto e exercícios aeróbios. Pode-se concluir que o exercício físico é dado como fator importante, tanto na prevenção quanto no tratamento do idoso acometido pela osteoporose, e que ele possui especificidades de acordocom o objetivo a ser alcançado.

 

Revista Fisioterapia em Movimento, v.23, n.2

Gravidez e Exercício

09.02.2017

Fonte : Revista Brasileira de Reumatologia

Praticamente todas as mulheres grávidas experimentam algum desconforto musculoesquelético durante a gravidez. Estima-se que cerca de 25% delas apresentem ao menos sintomas temporários. As mulheres grávidas apresentam um risco aumentado de queixas musculoesqueléticas, principalmente lombalgia. A mudança do centro de gravidade, a rotação anterior da pelve, o aumento da lordose lombar e o aumento da elasticidade ligamentar são os principais responsáveis pelos sintomas. Já foi demonstrado que um programa de exercícios executado três vezes por semana durante a segunda metade da gravidez parece colaborar na redução da intensidade das dores lombares, aumentando também a flexibilidade da coluna. As mulheres sedentárias apresentam um considerável declínio do condicionamento físico durante a gravidez. Além disto, a falta de atividade física regular é um dos fatores associados a uma susceptibilidade maior a doenças durante e após a gestação. Há um consenso geral na literatura científica de que a manutenção de exercícios de intensidade moderada durante uma gravidez não-complicada proporciona inúmeros benefícios para a saúde da mulher. Apesar de ainda existirem poucos estudos nesta área, exercícios resistidos de intensidade leve a moderada podem promover melhora na resistência e flexibilidade muscular, sem aumento no risco de lesões, complicações na gestação ou relativas ao peso do feto ao nascer. Conseqüentemente, a mulher passa a suportar melhor o aumento de peso e atenua as alterações posturais decorrentes desse período. A atividade física aeróbia auxilia de forma significativa no controle do peso e na manutenção do condicionamento, além de reduzir riscos de diabetes gestacional, condição que afeta 5% das gestantes. A ativação dos grandes grupos musculares propicia uma melhor utilização da glicose e aumenta simultaneamente a sensibilidade à insulina. Os estudos também mostram que a manutenção da prática regular de exercícios físicos ou esporte apresenta fatores protetores sobre a saúde mental e emocional da mulher.

 

Rev Bras Reumatol, v. 45, n. 3, p. 188-90

Exercício físico e o controle da pressão arterial

09.02.2017

Fonte : Revista Brasileira de Medicina do Esporte (RBME)

O exercício físico provoca uma série de respostas fisiológicas, resultantes de adaptações autonômicas e hemodinâmicas que vão influenciar o sistema cardiovascular. Diversos estudos demonstraram o seu efeito benéfico sobre a pressão arterial. Sendo a hipertensão arterial sistêmica uma entidade de alta prevalência e elevada morbimortalidade na população, o exercício físico tem importante papel como elemento não medicamentoso para o seu controle ou como adjuvante ao tratamento farmacológico.

 

Rev. bras. med. esporte; 10(6): 513- ‘ LILACS ‘ ID: lil-398540

Reeducação proprioceptiva nas lesões do ligamento cruzado anterior do joelho

21.12.2016

Fonte : Revista Brasileira de Ortopedia

A reeducação proprioceptiva do joelho tornou-se imperativa nas lesões do ligamento cruzado anterior (LCA), uma vez que, após a lesão, há necessidade de se desenvolver uma capacidade adaptativa dos numerosos mecanorreceptores que existem no joelho, para fornecer ao sistema nervoso central informações de posição, movimento e stress articular. Os autores deste trabalho divulgam um método de reeducação proprioceptiva aplicado em 247 pacientes com lesão do LCA e secundariamente apresentam uma técnica de avaliação proprioceptiva. Enfatizam a importância desse método no processo de reabilitação de pacientes com lesão do LCA, com ou sem reconstrução. O objetivo é devolver a esses pacientes a habilidade, agilidade e confiança, através do aumento da velocidade da resposta de defesa e da estabilidade articular. Como dado subjetivo, relatam a perda do medo que os pacientes adquirem quando da lesão.

 

Rev Bras Ortop. – Vol, 29, Nº 5

Efeito transiente de exercícios de flexibilidade na articulação do quadril sobre a marcha de idosas

14.12.2016

Fonte : Revista Brasileira de Medicina do Esporte (RBME)

A marcha é a atividade mais comum que o ser humano realiza, sendo uma habilidade motora fundamental para a locomoção. Contudo, o processo do envelhecimento é caracterizado pela redução gradativa da eficiência do aparelho locomotor, que ocorre pela diminuição da força e da massa muscular, assim como diminuição na flexibilidade. O estudo objetivou verificar o efeito transiente de uma sessão de exercícios de flexibilidade dos músculos extensores e flexores do quadril sobre a marcha de indivíduos idosos. Cinco idosas (67,0 ± 3,8 anos; 1,59 ± 0,07 m; 64,3 ± 15,3 Kg) voluntariaram participar do estudo. A marcha dos sujeitos foi analisada antes e depois dos exercícios de flexibilidade. O protocolo consistiu em uma sessão de três séries de exercícios de flexibilidade de 30s do método estático, feitos para os músculos flexores e extensores da articulação do quadril. Após a sessão de flexibilidade, a marcha das participantes apresentou menor pico de inclinação anterior da pelve, maior pico de extensão e amplitude total de movimento da articulação do quadril, maior amplitude de movimento do joelho com maior ângulo de flexão durante a fase de balanço médio e maior altura de separação do pé ao solo (aumento esse de 28,6 por cento). Os resultados mostram que imediatamente após a sessão dos exercícios de flexibilidade as mulheres idosas apresentaram mudanças no padrão da marcha nos quais algumas variáveis sugerem uma redução no risco de quedas. Os efeitos da idade sobre determinadas variáveis foram parcialmente revertidos e as participantes apresentaram um padrão da marcha mais similar aos adultos jovens que antes dos alongamentos.

Efeito transiente de exercícios de flexibilidade na articulação do quadril sobre a marcha de idosas

Cristopoliski, Fabiano; Sarraf, Thiago Augusto; Dezan, Valério Henrinque; Provensi, Cléver Luiz Gregolin; Rodacki, André Luiz Félix.

 

Rev. bras. med. esporte;14(2):139-144

CONVÊNIOS

A B-Active possui inúmeros benefícios para você, por isso contamos com os melhores planos de saúde.
Consulte o convênio disponível na unidade.

SEJA ATIVO! COMECE AGORA

Preencha os campos abaixo para começar o melhor da experiência B-Active!